O salto educacional: Brasil está longe

É notório a evolução econômica e social brasileira nos últimos 10 ou 12 anos, no entanto, o salto educacional, que é o que segura o crescimento, ainda estamos longe de dar.

Seguindo a orientação do Chico Sá, um blog não pode perder o seu caráter de “diário”. Pois bem, este bafudo autor e mais 6 pessoas foram ao estadio prestigiar o jogo Comercial X Juventus no ultimo domingo, pela última rodada do campeonato paulista da série A2. O Juventus, já rebaixado, visitava o Comercial em Ribeirão Preto, que precisava apenas do empate para se classificar, era óbvio que o público iria, domingo de feriado as 10 da manhã…

Não, não era óbvio. Chegamos por volta de 9 e 20 e a fila já era grande, e o melhor, havia apenas 3 bilheterias abertas. Até entendo que a prioridade seja comprar antecipado ou via sócio torcedor, mas isso não justifica a falta de profissionalismo da diretoria comercialina. Fila inexistente, ignorância, falta de respeito com idosos, enfim, tudo o que aconteceria num evento da idade média, e olhe lá… Aqui você é tratado como boi, e daqueles bois bem magros.

A torcida, ignorante, era incapaz de se portar educadamente e simplesmente respeitar a ordem já caótica da fila de ingressos. Resultado, ficamos até as 10 e 25 na fila, ou seja, 25 do primeiro tempo e nada… Foi quando desisti e cansei de ser tratado como um trapo humano e, como eu, muitos procederam desse jeito, entre eles alguns idosos.

Agora volto ao título do post, de que adianta tanto crescimento econômico e social se ainda nos portamos como o mais selvagem dos animais? Não conseguimos organizar um evento para 5000 pessoas. Recentemente Brasil e Argentina sediaram dois torneios de tênis da ATP e, novamente, o nosso foi uma vergonha quando comparado com o Argentino. Ou seja, não é só uma questão de dinheiro.

Essa é a visão que o estrangeiro tem do brasileiro, agora temos um pouco de dinheiro, mas ainda assim somos (continuamos?) estúpidos.

Paulistão? Vou de série A-2.

homer-simpson-1-264a0

O post desta semana é um daqueles pra relaxar. Depois de algum tempo sem futebol, essa semana foi um brinde, uma volta às origens, uma benção, a volta do futebol!

Bom, primeiro assisti a copa São Paulo, especialmente o jogo do Santos contra o Palmeiras, gostei muito do Léo Citadini, meio campo canhoto do Peixe. Geralmente jogadores canhotos são extremos, ou geniais, ou horrorosos. A final é Santos x Goiás, meu palpite, pra não ficar em cima do muro, Santos 7 X 0 Goiás.

Quanto ao paulista, sem citar os ingressos caros e o serviço bisonho (não! Vou me segurar e não vou pra esse lado, o post é pra relaxar, lembra?), acho que está mais para o Santos mesmo, pois os outros times “considerados” grandes (Palmeiras? Espero represálias…) estão ocupados com outros torneios mais importantes, portanto, acho que o caminho está aberto para o Peixe faturar o tetra.  Pra não ficar em cima do muro, Santos campeão em cima do São Paulo (espero represálias), 7 a 0 na final (minhas previsões são a lá Chico Lang). Com relação ao rebaixamento, a briga vai ser boa. Mas há muitos times favoritos, vamos lá, do último ao 17º, respectivamente: Atlético Sorocaba; Oeste; Guarani (espero represálias…) e Botafogo-SP.

Mas a cereja do bolo, pelo menos para este inocente autor, será a série A-2. De um lado, aqueles times de empresários, que detém as piores médias de público da história, juntamente com os times do ABC paulista, como Red Bull, Audax, Gremio Osasco, Guaratinguetá (de longe o pior) e Gremio Barueri.  De outro, os times com história pesada: Comercial, Juventus, Portuguesa, Noroeste, Ferroviária e Velo Clube.

Todos eles num daqueles arranca-rabos histórico. Tenho uma queda pelos times com história, aqueles “empresa” sofrem de um mal que a ciência não consegue explicar: falta de torcida, o que os prejudica na hora do quadrangular final, tem sido assim com Audax e Red Bull, que têm batido na trave nos últimos anos.

Pra não ficar em cima do muro, os quatro que vão subir: Comercial, Portuguesa, Noroeste e Red Bull. Rebaixados: Santacruzense, São Carlos, Rio Branco e Monte Azul.

Libertadores? Secundário. Provavelmente um dos brasileiros, espero que não seja o Corinthians.