O retorno da boçalidade e a incompetência petista

Bom, após 3 meses de inatividade finalmente retorno à escrita no blog, foi um longo período onde o exame de qualificação de doutorado acabou por “atrapalhar” minhas atividades por aqui. Amigo, quando a água bate na bunda aí você se mexe, dança, rebola, e algo tem que perder, no meu caso, o blog.

Enfim, sem mais desculpinhas esfarrapadas, volto ao cenário político atual. Está organizado um “protesto” para dia 15 de março, legítimo, diga-se de passage (A lá Neto), onde a principal reivindicação pede o impeachment da presidenta Dilma. Quem está por trás disso? Movimento Vem pra Rua (denunciado NESSE BLOG como sendo financiado pelo diretor da Ambev) e setores ligados à direita, com apoio de alguns partidos de oposição, entre eles o nosso querido e idolatrado (em SP): PSDB.

Óbvio que essa efervescência é captaneada pelo estado de São Paulo, inclusive tem o apoio político de determinados setores da imprensa e do próprio governador, mas vamos deixar isso para o fim do texto. Os protestos ocorrem num momento de estagnação da economia, pois batemos no teto do que é possível desenvolver sem que haja outras reformas estruturais, além disso, a crise no planalto também está instaurada.

A declaração de Dilma no domingo foi acompanhada é claro pelo panelaço gourmet, porém, ao contrário do que o diretório do partido inocentemente tem justificado, não é uma insatisfação burguesa contra um governo de esquerda, outras classes sociais estão indo a reboque e engrossando o caldo da insatisfação. Parte dessa insatisfação foi provocada pelo próprio PT, nomeação de ministros e loteamentos de cargo em função de alianças eleitorais; medidas econômicas que pouco os distanciam das medidas já tomadas por outros governos para enfrentar crises; enfim, ingredientes não faltam.

A própria postura petista incomoda, apanham por todos os lados, de direita a esquerda, de cima em baixo, e pouco vieram a público para rebater essas pancadas que tomaram e, quando o fizeram, o fizeram na hora errada. Há uma crise instaurada em função da Lava Jato, onde o palácio quer ver o sangue do PMDB, e este quer anular Dilma nas votações do congresso.

Soma-se a isso o relatório de Janot, que livra a cara deslavada de Aécio Neves e também de Dilma. O senhor Aécio que bradava antes da CPI que tudo deveria ser investigado, “doa a quem doer”, mas que na suspeita de investigação do swissleaks do HSBC também pediu cautela nas investigações. É o mesmo senhor que disse que apóia a manifestação mas não vai participar, é claro, tem coisa melhor pra fazer, trouxa são os outros que acreditam nele.

Voltando ao apoio do governador estadual aos protestos, a secretaria de segurança pública acaba de mudar o horário do jogo do Palmeiras x XV de Piracicaba para às 11hs do próximo domingo, inicialmente marcado para às 16hs.  Pasmem, em função do protesto, e observe que o jogo é com o XV de Piracicaba, ou seja, não é esperado um confronto entre as duas “rivais” torcidas, 100 policiais dariam conta de fazer o espetáculo, ou seja, não é uma questão de logística, é política. Nos protestos de 2013 não lembro de nenhum jogo ter sido mudado de horário, embora aquele protesto, a exemplo deste, não tenha mudado rigorosamente nada na nossa política.

Enquanto isso, o “exemplo” Joaquim Barbosa compara o mesmo protesto à queda da Bastilha e à revolução russa de 1917. Ele apenas inverteu os papéis, se fosse como a cabeça tola de Barbosa pensa, os Marinho e as classes dominantes estariam neste momento comprando suas passagens para Miami, no entanto, são elas quem estão comandando/influenciando as iniciativas.

Outra coisa que me incomada, e fazia tempo que não incomodava, é a parcialidade da imprensa. Divulgam aqui e acolá matérias sobre Lava Jato, gente xingando a Dilma em São Paulo, mas não aquelas que a beijaram no Norte. Também se esquecem que no estado de São Paulo passamos por uma crise hídrica que é eminentemente política, que até a presidente Dilma mostrou não entender no seu discurso realizado no último domingo, pois pra ela a crise é climática. Não falam dos esquemas dos trens metropolitanos onde o governo estadual está sujo até as tampas, e o que mais me choca, a população também vive numa espécie de Ensaio Sobre a Cegueira, de José Saramago, ninguém sabe de nada, tá tudo muito bom, a culpa de tudo é do PT, inclusive da crise hídrica.

Para não deixar o post muito extenso, creio que o protesto do dia 15 é legítimo até o ponto onde não se pede impeachment, pois aí é outra coisa amigo, aí é golpe mesmo, já que o Brasil elegeu seus representantes legalmente. Ainda assim, acho que será um tiro no pé, pois o que veremos de pessoas pedindo pela volta das forças armadas será algo notório, e isso até o mais inocente cachorro de rua sabe que seria uma catástrofe sem precedentes.

Encerro com uma figura mostrada por um amigo a alguns dias atrás, mostrando o papel de cada um na sociedade e o poder de decisão:

piramide-povo-elite-banqueiros

Olhem bem onde estão os políticos eleitos. Agora olhem quem está acima deles. Agora entenda porque nenhum lobby foi feito pela investigação e divulgação do swissleaks e as contas milionárias colocadas no paraíso fiscal da Suiça, que esconde dinheiro sujo, inclusive com participação da imprensa. Detalhe: na França foram feitos esforços para que isso se tornasse público, por aqui, o engavetamento foi geral.

Conselho 1: quando for por culpa nos políticos, embora exista uma preferência em atrelar todos os problemas desde a primeira república do Brasil ao PT, sempre reflita e lembre-se que os políticos agem em função de favores e dinheiro que lhes são impostos por gente acima deles, da qual eles tomam benefício e se misturam, mas, indubitavelmente, eles não estão sozinhos na bandalheira toda.

Conselho 2: Capitalismo é bom para quem tem dinheiro, poder de decisão e influência, amigo, você, se não for governante ou juiz de direito, está lascado, os três poderes estão nas mãos de outros. Para você o capitalismo não funciona.

Conselho 3: Antes de se achar mais importante do que o lixeiro ou a empregada doméstica e os desprezá-los, lembre-se que perante o nosso sistema, vocês são iguais: não são nada, a diferença é que você pode ganhar um pouco mais, mas essencialmente não valem nada para o sistema.

Anúncios

O Brasil despertou sim, despertou inclusive quem deveria estar dormindo.

Tenho visto muitos textos pela internet afora dizendo que não foi o Brasil que acordou, na realidade vários outros movimentos sempre estiveram acordados. Não concordo com essa perspectiva, acho que o Brasil acordou sim, muito embora não veja a ideia necessariamente como boa.

Todos acordaram, entre eles os bandidos, os nacionalistas, a rede Globo, a rede Record, artistas, enfim, estão todos produzindo e discutindo informação, seja ela errada ou correta. Todos aqueles que sempre odiaram ou pelo menos mostravam indiferença à política brasileira repentinamente decidiram participar, o que é importante e válido.

Ontem decidi ir à manifestação em Campinas-SP para tentar entender melhor o que ocorre, evidentemente ainda tenho enormes dúvidas, mas algumas coisas me incomodam. Vi pessoas cantando o hino (que nunca sequer cantaram, nem quando a seleção de futebol entra em campo), gente pedindo a legalização da maconha, gente cantando que tem orgulho de ser brasileiro. Na realidade percebi que as pessoas não tinham a menor noção do que estavam fazendo ali. Salvo alguns grupos universitários como o da Unicamp, que concentraram longe da confusão da prefeitura.

Isso me preocupa, esse repentino nacionalismo exacerbado e o ódio a qualquer manifestação partidária, principalmente os de esquerda, porque os de direita não apareceriam com suas bandeiras na manifestação. Não quero dizer que haverá um golpe militar, isso não teria respaldo nenhum da comunidade internacional, mas tenho medo do rumo que as coisas estão tomando.

É claro que a classe política é corrupta em sua maioria e temos que brigar com isso no dia a dia e por isso os protestos vieram no sentido de pressionar, no entanto, dissolver o congresso e eliminar os partidos tem outro significado. Ruim com eles, pior sem eles.

Acabo de ver que o MPL retirou-se das manifestações pois o principal objetivo foi alcançado e a situação começou a fugir do controle.

Em Ribeirão Preto-SP, um otário (Alexsandro Ishisato de Azevedo, 37) com grana atropelou e matou um manifestante.

Estas duas ou três semanas têm sido históricas e a manifestação, no meu ponto de vista, continua com um balanço positivo. Quando escrevi no último post questionando qual seria o próximo passo do movimento já tinha uma pulga atrás da orelha. Agora tenho duas.

A esquerda pedante e a direita letárgica

Diante dos últimos acontecimentos, constatei algo perigoso e gostaria de compartilhar com o leitor.

A morte de Margaret Thatcher e o atentado em Boston fizeram emergir o que há de pior na direita e na esquerda, se é que isso existe por aqui.

Manifestações de apoio a morte de Thatcher não faltaram na imprensa e nas redes sociais (o grande indexador de idéias do Brasil). Revistas e canais de televisão enalteceram as grandes “conquistas” da dama de ferro, como, por exemplo, o conflito com a Argentina pelas ilhas Malvinas. Se esqueceram de dizer que foi uma guerra (pra variar) geopolítica, onde o que estava em jogo era a reputação britânica dentro da crise neoliberal instalada e a eleição de Thatcher. Apenas se olharmos a distância da ilha em relação a Londres rapidamente concluimos que esse é um resquício de uma política neocolonialista que serviu de muleta para Thatcher.

O conflito pelas Malvinas
O conflito pelas Malvinas

De outro lado, o atentado em Boston e é claro, o hit brasileiro, Marco Feliciano, também fizeram ressurgir todo o pedantismo da esquerda. Evidentemente os EUA não são flor que se cheire, mas, não vejo por que motivo o atentado foi apoiado por alguns. Aquilo foi um ataque a uma das provas mais tradicionais americanas, covarde e contraproducente, e que irá gerar mais atitudes covardes por parte do governo americano.

Quando o assunto é Marco Feliciano aí a coisa fica pior. O facebook nos apresenta uma nova classe, a dos ateus que fazem o mesmo que os segmentos religiosos mais fanáticos fazem: convencê-lo. O M.F realmente é um estúpido que está se aproveitando de todo o ibope dado a ele, mas jornais e pessoas no facebook chegaram a publicar matérias dizendo que ele tentaria acabar com os jogos eletrônicos no Brasil. Pronto, mais uma onda de xingamentos em cima dele por algo que ele nem sonha e, cá pra nóis, qualquer leitor um pouquinho mais esperto sabe que isso é uma piada.

A direita é letárgica, diante disso, a esquerda brasileira se expande de maneira irracional e estúpida.